Futebol

Sérgio Manoel

David Gusmão | Médico Ortopedista | Cirurgia de Quadril e Videoartroscopia | Atletas Famosos | Sérgio Manoel

Lesão no joelho tira Sérgio Manoel do Brasileiro

 

Exame confirmou ruptura de ligamento do volante do Coritiba, que será submetido a uma cirurgia e não joga mais neste ano.

O volante Sérgio Manoel deve ficar seis meses parado e está fora do Campeonato Brasileiro. A informação foi dada pelo departamento médico do Coritiba após a realização de uma ressonância magnética, que confirmou uma ruptura no ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo do atleta.

A lesão ocorreu durante o jogo de sábado (28), contra o Grêmio, ainda no primeiro tempo. Ele deixou o campo com dores e a suspeita inicial foi confirmada através do exame de imagem.

De acordo com o médico alviverde Walmir Sampaio, a lesão é semelhante à sofrida pelo lateral-direito Jackson, o atacante Keirrison e o zagueiro Cleiton. O último voltou a treinar com bola nesta semana. Keirrison também já estava nesse estágio, mas sentiu dores e por precaução voltou ao tratamento.

Sérgio Manoel será submetido uma cirurgia para corrigir o problema, mas a data do procedimento não está confirmada. O tempo estimado de recuperação é de pelo menos seis meses.

Fonte: Gazeta do Povo

Sintomas e tratamento das fraturas de estresse

Quando se fala em fratura de um osso a primeira ideia que temos é de um evento traumático único causando a lesão. No entanto, este não é sempre o caso. Fraturas de estresse ocorrem ao longo do tempo, a partir de pequenas quantidades de estresse sobre o osso. Impacto de uma atividade repetitiva, como corrida, pode causar a lesão, resultando em dor crônica. A fratura por estresse ocorre quando o corpo é incapaz de refazer rapidamente um novo tecido ósseo. Eventualmente, uma fissura no osso pode ocorrer.

Dor em um local específico durante e após os esportes, normalmente é o primeiro sinal de uma fratura por estresse. Com a dor progredindo, o aproveitamento de atletas nos esportes ou exercícios não será completo, o desempenho é limitado. A dor desaparece com o repouso, no entanto,  retorna rapidamente no reinício da atividade esportiva. A dor é típica e pode ser difícil de identificar. Inchaço também pode ocorrer. Os ossos das pernas e dos pés são mais suscetíveis a fraturas por estresse. Eles suportam o peso do corpo e absorvem uma grande quantidade de choque de correr e saltar. Os ossos da perna (tíbia) e do pé (metatarsos) são áreas de interesse particular. O quadril, coxa (fêmur), pelve e coluna lombar (espondilólise) também são áreas potencialmente problemáticas, porém menos frequentes.

As fraturas por estresse podem ser diagnosticadas por um médico após um exame clínico e radiografia. Mas as vezes, uma fratura por estresse pode não ser identificada em um raio x até que o processo de cicatrização óssea se inicie. Na presença de uma fratura de estresse, uma nova formação óssea ocorre no local  na tentativa de curar a lesão, e este pode ser visto em um raio x após quatro semanas. Outros métodos de imagem, como ressonância magnética ou cintilografia óssea, podem localizar a lesão antes que seja visível em um raio x.

O principal tratamento é geralmente o repouso, no entanto, a localização da fratura do estresse pode determinar um plano de tratamento específico. A fim de aliviar a dor de um atleta, um médico pode recomendar o uso de muletas, imobilizar a área com braces ou até realizar uma cirurgia. Durante o processo de cicatrização , os atletas podem ser liberados para realizar de treinos de baixo impacto, tais como exercícios em piscina ou andar de bicicleta, se livre da dor. Pôr gelo na lesão pode reduzir a dor. Para os indivíduos cujo a saúde óssea é motivo de preocupação, mais testes de densidade óssea podem ser feitos. É essencial para os atletas que consumam calorias suficientes e quantidades recomendadas de cálcio e vitamina D para promover a saúde óssea. Um retorno ao esporte não é permitido até que o atleta esteja livre de dor ao realizar exercícios específicos do esporte.

Os adolescentes, brancos, asiáticos, os atletas em condições precárias e mulheres estão em maior risco de fraturas por estresse. Outros fatores que contribuem para o desenvolvimento de uma fratura por estresse incluem o tipo de esporte, regime de treinamento, de superfície (por exemplo, grama ou concreto) e calçados. Os atletas envolvidos em esportes funcionais (por exemplo, trilha, cross, futebol e basquete) estão em maior risco devido às forças que sustentam o peso. Mudanças bruscas de direção também aumentam o risco. Uma lesão pode ocorrer se um atleta tem um aumento súbito de tempo de treino, frequência ou intensidade. Correr sobre superfícies duras como concreto, em sapatos com má absorção de choque (por exemplo, chuteiras ou sapatos com mais de seis meses) podem também aumentar o risco de um atleta sofrer uma fratura por estresse.

Estratégias para permanecer ativo: Prevenção

- Começar qualquer nova atividade lentamente e aumentar o volume, frequência e intensidade de forma gradual (não mais do que um por cento por semana, em qualquer categoria); - Usar corretamente sapatos de absorção de choque; - Correr em superfícies mais macias como uma faixa de amortecimento, uma pista de corrida ou grama; - Tomar cálcio e vitamina D em quantidades adequadas para sua idade e sexo; - Misturar com atividades de baixo impacto, como ciclismo e natação.

Em caso de dúvida: Consulte um médico

Os seguintes sintomas devem garantir uma avaliação por um médico para fratura por estresse: - Dor ou inchaço na mesma área que persiste por mais de uma semana; - Dor recorrente apesar de repouso do esporte; - Dor que se torna progressivamente pior com a atividade menos intensa (por exemplo, caminhada); - A dor persistente e história de fraturas por estresse anteriores.

Atenção: As informações contidas no site expressam a opinião do autor. As opiniões não tem vínculo com nenhuma instituição. As informações aqui contidas não substituem a avaliação médica. O médico não pode realizar diagnóstico e tratamento a distância ou por e-mail. Consulte um médico sobre problemas pessoais específicos.

Rafael Nadal

David Gusmão | Médico Ortopedista | Cirurgia de Quadril e Videoartroscopia | Atletas Famosos | Rafael Nadal

Com lesão no joelho, Rafael Nadal está fora da Olimpíada

 

O tenista Rafael Nadal está fora dos Jogos Olímpicos de Londres. Ele não se recuperou de uma tendinite no joelho e, nesta quinta-feira, confirmou que não vai à capital inglesa defender sua medalha de ouro conquistada em Pequim, em 2008. O espanhol afirmou que este é "um dos momentos mais tristes da carreira" e garantiu que a decisão foi tomada porque não está "em condições de competir".

"Não estou em condições de competir nos Jogos Olímpicos de Londres e por isso não viajarei, como tinha previsto, com a delegação espanhola para competir no mesmo. Tenho que pensar em meus companheiros, não posso ser egoísta. Tenho que pensar no bem do esporte espanhol, especialmente do tênis espanhol, e deixar que jogue um companheiro meu com melhor preparação e que se encontre em condições de competir", explicou, em comunicado.

Atual número 3 do ranking da ATP, Nadal era um dos quatro tenistas espanhóis que disputariam o torneio simples em Londres. Com sua desistência, Marcel Granollers, número 20 do mundo, e Feliciano Lopez, 30º, que jogariam somente a chave de duplas, são os mais cogitados para a disputa também do torneio simples. No início do mês, o principal tenista da Espanha já havia desistido de disputar uma partida amistosa com Novak Djokovic, com a justificativa de que queria se recuperar plenamente de sua lesão, visando a Olimpíada. "Me esforcei até o último momento em minha preparação, em meus treinamentos, mas não teve jeito", apontou.

Nadal ainda seria o porta-bandeira da delegação espanhol na cerimônia de abertura dos Jogos, no dia 27 de julho, e o comitê olímpico nacional ainda não se posicionou sobre seu substituto nesta função. Na Olimpíada de 2008, o tenista conquistou a medalha de ouro ao bater o chileno Fernando González na decisão. "Hoje (quinta-feira) é um dos dias mais tristes da minha carreira, já que era um dos meus maiores sonhos, e talvez o momento mais especial, ser porta-bandeira da Espanha na cerimônia de abertura dos Jogos de Londres. Assim, vocês podem imaginar o quão difícil foi tomar esta decisão", lamentou.

Fonte: Yahoo Esportes

Pará

david.gusmao.ortopedia.lateral.gremio.ressalta.importancia.somar.pontos.fora.de

Lateral Pará intensifica tratamento para voltar a atuar pelo

time do Grêmio

Jogador passou por cirurgia e trabalha em três turnos para recuperar joelho lesionado
 

Após passar por cirurgia em função de uma lesão no menisco interno do joelho direito na semana passada, o lateral-esquerdo Pará trabalha de forma intensa para retornar o mais rápido possível ao time do Grêmio. Orientado pelos profissionais do clube, o jogador faz fisioterapia em três turnos: dois no estádio e um em casa.

— O mais importante é que não sinto dores, sinal de que vai tudo muito bem. A ordem é não forçar o joelho, por isso usei muletas nos primeiros dias. Venho cumprindo todas as orientações, sem pressa e sem afobação, porque quero voltar o mais rápido possível — conta.

O jogador, contratado junto ao Santos no final de fevereiro, já fez 21 partidas no Grêmio. Assumiu a lateral-esquerda com a lesão de Julio Cesar até a partida contra o Flamengo no domingo passado, quando precisou sair no intervalo por conta do problema no joelho. A previsão do retorno de Pará aos treinos do Grêmio é para a última semana de julho.

Fonte: ZH Esportes

Prevenção de Lesões no Futebol

fot545x230

O futebol é um dos esportes mais populares do mundo, nos Estados Unidos é o esporte de equipe de crescimento mais rápido. Apesar do futebol proporcionar uma agradável forma de exercício aeróbico e ajudar a desenvolver equilíbrio, agilidade, coordenação e um senso de trabalho em equipe, os jogadores de futebol devem estar cientes dos riscos de lesões. Prevenção de lesões, a detecção precoce e o tratamento podem manter as crianças e adultos no campo por longo prazo.

Quais são as lesões comuns de futebol e seus sintomas? Lesões nos membros inferiores são as mais comuns no futebol. Estas lesões podem ser traumáticas, como um chute na perna ou uma torção no joelho ou resultado do uso excessivo de um músculo, osso ou tendão.

Lesões nos membros inferiores Torções e distensões são as mais comuns lesões dos membros inferiores. A severidade das lesões varia. Lágrimas da cartilagem e do ligamento cruzado anterior (LCA), bem como entorse no joelho, são algumas das lesões mais comuns que podem exigir cirurgia. Outras lesões incluem fraturas e contusões de golpes diretos com o corpo.

Lesões nas menores extremidades - Uso excessivo Dores nas canelas (dor na panturrilha), tendinites patelar (dor no joelho) e tendinite de Aquiles (dor na parte de trás do tornozelo) são algumas das condições mais comuns do uso excessivo de futebol. Jogadores de futebol também são propensos a tensões musculares na virilha, coxa e panturrilha. As fraturas por estresse ocorrem quando o osso torna-se fraco por excesso de uso. Muitas vezes é difícil distinguir fraturas de estresse a partir de lesões dos tecidos moles. Se a dor se desenvolve em qualquer parte da sua extremidade inferior e não melhorar após alguns dias de descanso, um médico deve ser consultado para determinar se uma fratura por estresse está presente.

Lesões nas extremidades superiores Lesões nos membros superiores geralmente ocorrem ao cair com um braço estendido ou em contato com outro jogador. Estas condições incluem entorses, fraturas de pulso e luxações de ombro.

Lesões na cabeça, pescoço e rosto Lesões na cabeça, pescoço e rosto incluem cortes, contusões, fraturas, entorses de pescoço e concussões . A concussão é qualquer alteração no estado mental de um atleta, devido a traumatismo craniano e deve ser sempre avaliada por um médico. Nem todos aqueles que experimentam uma concussão perdem a consciência.

Como tratar as lesões de futebol?

O esporte deve ser interrompido imediatamente até que qualquer lesão seja avaliada e tratada de forma adequada. A maioria das lesões são menores e podem ser tratadas por um curto período de repouso, elevação e gelo. Se um médico do esporte ou treinador atlético está disponível para avaliar uma lesão, muitas vezes, pode ser feita uma decisão para permitir que um atleta continue a jogar imediatamente. O atleta deve voltar a jogar somente quando a depuração é concedida por um profissional de saúde. Lesões podem ser tratadas em um curto período de repouso, o que significa que o atleta pode continuar a exercer ou praticar algumas atividades com moderações. Em muitos casos, forçar o treino com dor pode ser prejudicial, especialmente para fraturas por estresse, lesões ligamentares do joelho e qualquer lesão na cabeça ou no pescoço. Contate o seu médico para diagnosticar o tratamento adequado de qualquer lesão que não melhorar após alguns dias de descanso.

Como prevenir lesões de futebol?

  • Fazer um exame pré-temporada física e seguir as recomendações do seu médico.;
  • Use chuteiras e caneleiras bem ajustadas;
  • Esteja ciente das condições de campo que podem facilitar as lesões;
  • Use o tamanho correto de bolas sintéticas - bolas de couro que podem alagar e são pesadas e mais perigosas;
  • Cuidado com os móveis que podem cair sobre os jogadores;
  • Hidrate-se adequadamente - esperar até que você esteja sedento muitas vezes é tarde demais para hidratar-se corretamente;
  • Preste atenção às recomendações ambientais, especialmente em relação ao clima excessivamente quente e úmido, para ajudar a evitar doenças provocadas pelo calor;
  • Manter a forma adequada - taxas de acidentes são maiores em atletas que não estão preparados fisicamente;
  • Após um período de inatividade, voltar gradualmente a ter pleno contato com o futebol através de atividades como condicionamento aeróbico, treinamento de força e treinamento de agilidade;
  • Evite lesões por treino excessivo - mais nem sempre é melhor! Muitos especialistas em medicina esportiva acreditam que é benéfico ter pelo menos uma temporada a cada ano. Tente evitar a pressão para treinar mais, que é exercida sobre muitos jovens atletas. Ouça o seu corpo e diminua o tempo de treinamento e intensidade se a dor ou desconforto se desenvolver. Isto reduzirá o risco de lesões e ajudará a evitar "esgotamento".
  • Fale com um profissional de medicina esportiva ou preparador físico se você tiver qualquer preocupação com lesões ou estratégias de prevenção de lesões de futebol.

VII Encontro Latinoamericano de cirurgiões de quadril e joelho – SCCOT

 É com satisfação que recebo o convite para participar novamente do VII Encontro Latinoamericano de cirurgiões de quadril e joelho, organizado pelo Dr. Julio Palacios, presidente da Sociedade Colombiana de Cirurgia Ortopédica e Traumatológica.

Este ano minha palestra será sobre o uso da artroscopia de quadril para o tratamento do impacto femoro acetabular. É um tema de destaque devido ao grande interesse dos ortopedistas nessa área.

O Evento vem ganhando um destaque cada vez maior no meio Ortopedico da America Latina devido a sua qualidade e organização. Os organizadores tem tido uma grande habilidade em selecionar os temas a serem abordados o que torna o evento muito atrativo.

A cidade Cartagena de Indias é um show a parte que incentiva o turismo a atualização científica.

O curso é realizado no Hotel Hilton que dispõe de um excelente ambiente para o evento e um grande profissionalismo.

O Dr. Julio Palacio está cercado de uma ótima equipe que reflete diretamente no sucesso do evento.

Este ano teremos diversos convidados Brasileiros (em ordem do evento): Dr. Emerson Honda, Dr. Xavier Stump, Dr. Rogério Fuchs, Dr. José Pécora, Dr. Itiro Suzoki, Dr. Pedro Ivo Carvalho, Dr. Nelson Ono, Dr. Carlos Galia, Dr. Paulo Alencar, Dr. Emílio Freitas, Dr. David Gusmão, Dr. Francisco Karam, Dr. Milton Ross, Dr. Luis Marcelino Gomes (Presidente da SBQ), Dr. Jorge Penedo, Dr. Ricardo Cury, Dr. Ademir Schuroff.

Artigo: Artroscopia do quadril tem a mesma eficácia que cirurgia aberta

david.gusmao.ortopedia.Hospital.for.Special.Surgery

Pesquisadores do Hospital for Special Surgery de Nova Iorque, concluiram em estudo recente que o tratamento do impacto femoroacetabular por video artroscopia de quadril é similar ao da cirurgia aberta em termos de correção anatômica. Esse estudo foi publicado em julho na revista médica American Journal of Sports Medicine.

“For the majority of patients with more typical hip impingement, arthroscopic approaches should be just as effective at adequately restoring the mechanics as the open surgical technique,” study co-author Bryan T. Kelly, MD, stated in a Hospital for Special Surgery press release.

Brian Kelly

“Para a maioria dos pacientes, com impacto femoroacetabular típico, a abordagem artroscópica deve ser tão efetiva quanto a cirurgia aberta para restaurar a mecânica do quadril” – diz Dr. Bryan T. Kelly, co-autor do estudo.

Correção mecânica similar

O resultado do estudo aponta que a osteocondroplastia realizada por video artroscopia de quadril é capaz de restaurar o off-set da cabeça/colo femoral e a mesma profundidade, arco e extensão da correção que pode ser realizada em cirurgias abertas.

“Este é o primeiro estudo, em pacientes, que demonstra que a correção por video artroscopia de quadril pode atingir efeitos mecânicos semelhantes ao da cirurgia aberta” – diz Brian Kelly.

6° Curso de Artroplastia do Quadril – Hospital Universitário Cajuru

david.gusmao.ortopedia.6curso.artroplastia.do.quadril

Neste Final de semana, 17 a 18 de Junho, teremos em Curitiba o 60 Curso de Artroplastia do Quadril do Hospital Universitário Cajuru: Tradições e Tendências. A cordenação do curso é do Dr. Ademir Schuroff.

O evento já é tradicional na especialidade da cirurgia do Quadril no país. A cada edição do curso a cirurgia preservadora do quadril vem ganhando espaço e esse ano não foi diferente.

Na programação de Sábado pela manhã teremos quatro palestras sobre cirurgias preservadoras e artroscopia de quadril. Dr. David Gusmão irá falar sobre: “Artroscopia do Quadril. O que ela trata no momento?”.

Programa de sexta feira

 

Programa de sábado

VI Jornada de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Saúde – 29 abril 2011

Abril será um mês cheio!

Dia 29 e 30 de Abril de 2011 teremos a VI Jornada de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Saúde, tendo como o tema central a cirúrgia de quadril.

A seleção dos palestrantes está excelente! Contamos com ícones da cirúrgia do quadril, reconhecidos internacionalmente!

Será um evento de grande magnitude no estado do RGS.

VI Jornada de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Saúde – 29 abril 2011

Primeiro dia do Curso Internacional de Artroscopia de Quadril – Colombia/Cali

Já no primeiro dia do curso fiquei surpreso com o número de especialistas interessados neste tema tão específico. Dentre os inscritos estavam em maior número os especialistas em cirurgia de quadril e medicina do esporte.

A manhã do dia 08 de abril foi focada em temas básicos relacionados especificamente a artroscopia de quadril.

Neste módulo do curso eu abordei o tema: “Anatomia Artroscópica de la Cadera / Anatomia Artroscopica do Quadril”. Claro que a Anatomia do paciente é a mesma não importando a forma de tratamento, mas é importante aprendermos as relações anatômicas com o uso de um instrumento ótico, a video artroscopia.

Introdução

Ao meio dia coordenei a atividade de workshop em modelos plásticos demonstrando como realizar essa técnica para um grupo pequeno de aproximadamente 10 pessoas. Após essa demonstração Dr. Bernardo Aguillera e eu discutimos pequenas diferenças entre as formas que abordamos o quadril com o uso da video artroscopia.

A tarde, a palestra foi sobre tema principal: “Abordagem do quadril fuera-adentro / Abordagem do quadril de fora para dentro”. Essa palestra trata de uma forma diferente de realizar a artroscopia de quadril. Essa forma torna a cirurgia mais fácil, mais rápida, mais precisa e mais segura. Existem diversos argumentos técnicos para essas afirmações, mas é importante que o cirurgião use sempre a técnica que está habituado ou que realize um treinamento supervisionado de uma nova técnica antes de ser empregada.

Logo após tivemos uma discussão em grupo sobre os temas apresentados que foi muito proveitosa a todos.

No final deste dia recebi convites para eventos semelhantes no Panama e no Peru. Ótimo! Adoro viajar, estudar e discutir estas técnicas com outros cirurgiões. Sempre aprendo em todos lugares onde vou. Todos tem algo a ensinar e experiências para trocar.

Curso Internacional de Artroscopia de Quadril – Colombia, Cali – 7 abril 2011

david.gusmao.ortopedia.curso.artroplastia.de.cadera

Dia 7 a 9 de abril estarei na Colombia em Cali como palestrante convidado para o Curso Internacional de Artroscopia de Quadril (curso internacional de artroscopia de cadera). O curso será realizado no Centro Médico Imbanaco, Colombia – Cali.

O programa do curso está muito bem montado com temas avançados em Artroscopia de Quadril. Além disso o staff também está excelente. O evento foi organizado pelo Dr. Bernardo Aguilera que é destaque na artroscopia de quadril na Colombia.

Será um prazer participar do curso juntamente com os colegas de São Paulo, Dr. Roberto Queiroz e Dr. Marcelo Queiroz.

O Dr. Marcelo Queiroz é um grande amigo e uma presença constante nos cursos de cirurgia preservadora do quadril. É muito bom quando um Cirurgião de Quadril que se dedica a cirurgia preservadora aberta também realiza a artroscopia do quadril. Ao meu ver torna-se um profissional mais completo e com melhor julgamento sobre qual a melhor técnica para cada paciente.

Curso de Cirurgia Preservadora do Quadril e Video Artroscopia de Quadril

david.gusmao.ortopedia.Cursode.Cirurgia.Preservado.a.do.Quadril.e.Video-Artroscopia-de-Quadril

É um curso promovido pela AO North America que reune os melhores cirurgiões do mundo e experts em preservação do quadril. É um curso organizado em conjunto pelos Suiços e Americanos.

O foco do curso é em procedimentos cirúrgicos para evitar a progressão da artrose do quadril. Isso inclui cirurgias “abertas” e cirurgias de video artroscopia de quadril.

Esse ano será em Vail – Colorado, onde mora e trabalha Dr. Philippon, responsável pelo maior volume de cirurgias videoartroscópicas de quadril