Estudo diz que vitamina D reduz risco de fratura óssea

Vitamia D | David Gusmão | Cirurgia de Quadril e Videoartroscopia

Você pode se perguntar se ao tomar uma vitamina D suplementar, manterá os ossos saudáveis. A vitamina D é essencial para a saúde óssea, mas a pesquisa sobre suplementos tem sido inconsistente. Alguns estudos concluíram que os suplementos de vitamina D podem reduzir o risco de fraturas ósseas, enquanto outros sugerem que as pílulas fornecem pouco ou nenhum benefício.

O mais recente estudo sobre o tema, publicado no New England Journal of Medicine, pode ajudar a esclarecer algumas dúvidas.

O estudo, uma re-análise de dados de 11 testes clínicos com mais de 31.000 pessoas de 65 anos ou mais, descobriu que suplementos de vitamina D - que são muitas vezes combinados com suplementos de cálcio - são associados a um menor risco de fratura óssea apenas quando tomado em doses elevadas.

Como combater a osteoporose

De modo geral, 4% dos participantes do estudo tinham fraturado o quadril e 12% um osso fraturado em qualquer outra parte do corpo (não incluindo as vértebras).

Tomando menos do que cerca de 800 unidades internacionais (UI) de vitamina D por dia, com ou sem cálcio, não teve nenhum efeito sobre a massa óssea fraturada, um risco quando comparado com a tomada de um placebo ou um suplemento de cálcio por si só. Tomando 800 UI ou mais, por outro lado, diminuiu o risco de fratura de quadril em 30% e o risco de fraturas ósseas em 14%.

Uma redução de 30% nas fraturas de quadril com uma intervenção segura de baixo custo, como a vitamina D, tem enormes implicações para a saúde pública.

Maneiras de ingerir a quantidade diária indicada de vitamina D

As novas descobertas percorrem um longo caminho para explicar por que estudos anteriores sobre a vitamina D e o risco de fratura produziram resultados conflitantes.

Todos os problemas com estudos anteriores vêm de uma dose muito pequena de vitamina D. Se você não dá quantidades suficientes da vitamina D aos pacientes, então você não vai ver um efeito.

Nem todos os médicos sugerem que pessoas acima de 65 anos comecem a tomar, no mínimo, 800 UI de vitamina D por dia, apesar desta suplementação ter chances de ser benéfica.

O Instituto de Medicina, uma influente organização sem fins lucrativos, recomenda que as pessoas de 70 anos ou mais consumem pelo menos 800 UI de vitamina D por dia. Mas que a vitamina D pode vir de alimentos fortificados - para não mencionar a luz solar, o que naturalmente estimula o organismo a produzir a vitamina.

Alimentos para a saúde dos ossos

Em junho, os EUA Preventive Services Task Force (USPSTF), um painel de peritos independentes que assessora o governo federal sobre os cuidados preventivos, formularam diretrizes dizendo que não há evidências para recomendar suplementos de vitamina D para a prevenção de fraturas ósseas.

Para complicar ainda mais, a dose necessária para promover a saúde óssea parece variar de pessoa para pessoa, dependendo de seus níveis de vitamina D de base.

Esta é a melhor evidência que temos hoje, que talvez mereça uma revisão das recomendações da USPSTF, que ainda têm de ser finalizados e estão abertos para comentários do público.

Os resultados podem apoiar uma mudança nestas recomendações para os idosos.

Atenção: As informações contidas no site expressam a opinião do autor. As opiniões não tem vínculo com nenhuma instituição. As informações aqui contidas não substituem a avaliação médica. O médico não pode realizar diagnóstico e tratamento a distância ou por e-mail. Consulte um médico sobre problemas pessoais específicos.