Atletas

Gareth Bale

David Gusmão | Médico Ortopedista | Cirurgia de Quadril e Videoartroscopia | Osteoartrose | Atletas Famosos | Gareth Bale

Lesão tira Gareth Bale da seleção da Grã-Bretanha que

disputará os Jogos Olímpicos

Um dos principais nomes da seleção olímpica da Grã-Bretanha, Gareth Bale, do Tottenham, da Inglaterra, está fora dos Jogos de Londres. O desfalque do lateral-esquerdo, de 22 anos, deve-se a uma lesão no quadril.

Bale era uma das grandes esperanças da equipe britânica nos jogos, ao lado de Ryan Giggs e Craig Bellamy. Outro astro que não disputará os Jogos será David Beckham, que ficou de fora por opção do treinador Stuart Pearce.

Fonte: Ahe! Brasil

Georgi Georgiev

david.gusmao.ortopedia.acidente.corredor.georgi.kirilov.georgiev

 

Velocista da Bulgária quebra perna e desloca joelho ao

correr 100m rasos

 

Georgi Georgiev sofre lesão impressionante durante as eliminatórias do Campeonato Europeu, na Finlândia.

Lesões fazem parte da vida de qualquer atleta, isto é um fato. Uma contusão no tendão, outra na virilha, quem sabe até uns cortes ou hematomas de uma queda, dependendo do esporte. O mais improvável seria ver uma perna se quebrar em uma disputa dos 100m rasos. Mas foi exatamente isso que aconteceu com Georgi Kirilov Georgiev, da Bulgária, nas eliminatórias do Campeonato Europeu, em Helsínquia, na Finlândia. É o que conta a publicação do jornal britânico Daily Mail.

Clique aqui para assistir ao vídeo.

Tudo parecia correr bem até a metade do percurso, quando o velocista diminuiu o ritmo das passadas. Logo depois, veio o colapso. O búlgaro sentiu uma dor incontrolável e sucumbiu no meio da pista. O resultado foi uma perna quebrada e um joelho fora da rótula. Apesar do susto, Georgiev conseguiu andar até uma cadeira de rodas, onde foi amparado pelos médicos.

Fonte: Globo Esporte
 

Bruno Torres

David Gusmão | Médico Ortopedista | Cirurgia de Quadril e Videoartroscopia | Atletas Famosos | Bruno Torres

Após terrível lesão, português Torres poderá voltar a treinar em

dois meses

Defensor chegou a temer pelo fim da carreira depois de sofrer uma fratura exposta no joelho direito: 'Espero poder voltar a jogar no mais alto nível'
 

Após protagonizar uma cena chocante no duelo entre Portugal e Espanha pela Liga Europeia ao fraturar o joelho direito em duas partes e ter o futuro ameaçado no futebol de areia, o português Bruno Torres recebeu uma boa notícia dos médicos responsáveis pelo seu tratamento: em aproximadamente dois meses ele poderá retornar aos treinamentos. Em entrevista ao GLOBOESPORTE.COM, Bruno falou sobre o lance dramático e dos momentos de tensão com a possibilidade de abandonar o esporte.

Clique no link e assista o vídeo:

David Gusmão | Médico Ortopedista | Cirurgia de Quadril e Videoartroscopia | Atletas Famosos | Bruno Torres | Vídeo

- Assim que caí no chão, coloquei as mãos na coxa e vi que tinha feito uma luxação. Me assustei, e meu instinto me fez querer esticar a perna, mas ela estava bloqueada. Quando o médico chegou, ele colocou o meu joelho no lugar. Foi uma dor enorme, mas o que vinha à minha cabeça era uma grande tristeza por ter colocado em risco a minha carreira, após tanto trabalho e sacrifício. O futebol de areia é uma paixão e, para praticá-lo a este nível, tenho que me dedicar nos treinos - lembrou.

O craque português Madjer assistiu a tudo de camarote e ficou impressionado com a cena. Segundo o atacante, esta foi uma das situações mais difíceis de sua carreira e seu primeiro impulso foi acalmar a todos. - Foi um dos momentos mais difíceis da minha carreira ver o meu amigo numa situação daquelas. Após o lance, o meu primeiro impulso foi acalmar as pessoas, principalmente, o Bruno. As perspectivas são de uma recuperação sem recorrer a cirurgia, contudo, ainda estamos com algumas cautelas - contou o maior artilheiro das Copas do Mundo, com 79 gols. Depois de Bruno ser submetido a uma ressonância magnética, foi diagnosticada uma luxação da rótula do joelho direito do defensor, provocada pela ruptura da membrana lateral que a sustenta. O exame também acusou um ligeiro edema e uma ruptura oblíqua na parte posterior do menisco. Apesar da fratura, foi descartada uma artroscopia e, no prazo de oito a dez semanas, Bruno poderá voltar aos treinamentos.

Companheiro assiste ao lance pela televisão e se desespera

O brasileiro naturalizado português Alan não estava presente na partida contra a Espanha, pois estava atuando em uma das etapas do Campeonato Russo. Ele contou que viu tudo pela televisão e ficou chocado com o drama vivido pelo companheiro de seleção. Na mesma hora, ele entrou em contato com os outros jogadores para buscar mais informações. - Vi a imagem pela TV e fiquei maluco na hora. Mas depois me explicaram que não era algo tão grave, que ele iria se recuperar e me acalmei. Fiquei preocupado, pois, além de jogar na mesma seleção que eu, o Bruno é um grande amigo. Ele vai perder algumas competições, mas vai voltar a jogar - afirmou Alan.

Bruno lamenta estar fora das eliminatórias europeias para Copa do Mundo do Taiti, de 1º a 8 de julho, em Moscou, mas promete uma recuperação de 200% até o ano que vem. Há quatro anos, o defensor busca o tão sonhado título mundial. Resta torcer pelos companheiros nas classificatórias e estar pronto para a competição, de 18 a 28 de setembro de 2013, na Polinésia Francesa.

- Perder essa competição é horrível, pois procuro há quatro anos o título de campeão do mundo. Confio nos meus companheiros para conseguir a classificação nas eliminatórias e o meu maior desejo é me recuperar 200% para poder lutar por esse título mundial em 2013. Espero sinceramente poder voltar a jogar no mais alto nível e farei de tudo para conseguir. Aproveito para agradecer todo o apoio que tenho recebido, inclusive aí do Brasil, onde, para meu orgulho, conquistei a admiração, o respeito e a amizade de muita gente - finalizou.

Fonte: Globo Esporte

Maurren Maggi

David Gusmão | Médico Ortopedista | Cirurgia de Quadril e Videoartroscopia | Atletas Famosos | Maurrem Maggi

Maurren Maggi decide se poupar e anuncia

desistência de participar do Troféu Brasil

Este ano já foi ouro nas etapas de Belém, São Paulo e Rio de Janeiro do GP de atletismo.

A saltadora Maurren Maggi anunciou nesta terça-feira sua desistência de participar do Troféu Brasil, que será realizado de amanhã até o próximo domingo, para se poupar para treinamentos para os Jogos Olímpicos de Londres.

Há pouco mais de um mês, ela sofreu uma lesão no quadril, e o técnico Nélio Moura orientou que a saltadora poupasse esforços e priorizasse os treinamentos.

"A Maurren está se recuperando bem das dores no quadril, no entanto, decidimos que era melhor ela não participar do Troféu Brasil porque precisamos dar prioridade aos treinos. Na volta ao Brasil ela precisou ficar uma semana com treinos adaptados e neste momento da preparação acreditamos que uma sequência forte de treinos trará mais benefícios pensando na disputa dos Jogos Olímpicos de Londres", falou Maurren.

Maurren vem de bons resultados na atual temporada. Este ano já foi ouro nas etapas de Belém, São Paulo e Rio de Janeiro do GP de atletismo.

Na etapa da capital paulista, saltou a 6,85 m, a terceira melhor marca do ano até agora. Este resultado daria, hipoteticamente, a prata em Londres, já que as duas melhores marcas da temporada são da mesma atleta, a americana Brittney Reese.

Fonte: UOL
 

Comentário do Dr. David Gusmão:

Infelizmente as modalidades do atletismo com salto provocam forças extremas no quadril. Principalmente nos casos onde uma hiperflexão do quadril é necessária. Sabemos hoje que alguns formatos de quadril pode ser mais propensos a lesão.

Desejamos que Maurren se recupere bem.

Fred - Fluminense

David Gusmão | Médico Ortopedista | Cirurgia de Quadril e Videoartroscopia | Atletas Famosos | Fred

Com dores, Fred é desfalque no Fluminense

 

Com dores nas coxas e na região do quadril, o atacante está fora do jogo contra Atlético-Go, em Goiânia

 

Depois de ser poupado nos dois últimos dias por conta de dores nas duas coxas e na região do quadril, o atacante Fred mais uma vez foi preservado do trabalho com os demais jogadores na manhã desta sexta-feira. O capitão do Fluminense sequer viaja para Goiânia, onde a equipe encara o Atlético-GO, no domingo, às 18h30 (de Brasília), no Serra Dourada.

O artilheiro chegou às Laranjeiras com 23 minutos de atraso e foi direto para a academia. Depois, deu voltas ao redor do gramado. Fred se submeteu a um exame de imagem, mas nenhuma lesão foi encontrada pelos médicos do Fluminense. Outros exames estão programados para reavaliar a causa das dores. Sem Rafael Moura, ainda lesionado, Fred deve ser substituído por Samuel. Abel Braga também tem Marcos Júnior como opção.

Departamento médico

O número de lesionado no Fluminense ainda segue alto. Rafael Moura, com tendinite nos dois joelhos, segue afastado e treinando apenas a parte física. Rafael Sobis tem estiramento de grau dois na coxa direita e segue em recuperação. Diguinho, com edema no tornozelo direito, também é desfalque para Abel Braga. Já Thiago Neves voltou a treinar com bola nesta sexta-feira. O meia se recupera de uma artroscopia realizada no joelho esquerdo e fica cada vez mais próximo do retorno à equipe do Fluminense.

Fonte: Terra Esportes

Leandro Guilheiro

David Gusmão | Médico Ortopedista | Cirurgia de Quadril e Videoartroscopia | Atletas Famosos | Leandro Guilheiro

Guilheiro deixa lesões no passado em busca da terceira

medalha olímpica

Com dois bronzes em Jogos no currículo, paulista chega a Londres como o número 1 dos meio-médios e 100% fisicamente, mas nega pressão pelo ouro.

Aos 21 anos, o terceiro lugar nas Olimpíadas de Atenas-2004. Aos 25, novo bronze, dessa vez nos Jogos de Pequim-2008. Dono de duas medalhas olímpicas, o paulista Leandro Guilheiro chega a Londres como o número 1 do mundo dos meio-médios (81kg) e carrega o fardo de ser o favorito ao ouro. Mas ao contrário dos outros anos, o judoca comemora um ciclo sem lesões. E de lesões Guilheiro entende. Contando apenas as mais sérias, foram seis no período de praparação para os dois últimos Jogos.

Em plena forma aos 28 anos, Leandro prefere deixar para trás seu histórico médico e trabalhar para que as lesões não se repitam. Por estar 100% fisicamente, acumula mais um motivo para ser visto como candidato ao pódio na Inglaterra. No entanto, ele prefere não dar atenção à pressão pela conquista de uma terceira medalha olímpica.

- Nos dois últimos ciclos olímpicos fraturei o punho esquerdo, tive uma lesão no quadril, uma em cada ombro, um problema no menisco do joelho direito e uma hérnia de disco. Mas isso é passado, já foi. Não tenho medo. Só penso na prevenção das lesões. Não é uma coisa que eu fique pensando toda hora e que me preocupe. Sempre fui muito determinado, meu limite não existe - contou o judoca do Pinheiros.

Adversários e "cara no cangote"

No último fim de semana, Leandro acompanhou de perto o Grand Slam do Rio, em Niterói, e viu Victor Penalber ser campeão em sua categoria, derrotando o americano Travis Stevens. Mas ele garante que a concorrência - dentro e fora do país - não o incomoda e não o faz mudar seus treinamentos. Enquanto muitos atletas funcionam melhor sob pressão, o paulista com jeito de bom moço revela que, com ele, as coisas são diferentes. O campeão mundial júnior de 2002 não precisa de alguém brigando diretamente com ele por uma vaga para treinar mais forte e se superar. Ele mesmo faz esse papel:

- Tenho atenção com todos os adversários. Nas Olimpíadas, a chave tem 32 atletas. Então, todos os 31 precisam de atenção. Tento me preparar da melhor forma possível para evoluir em vários aspectos e crescer um pouco mais a cada dia. Tem muita gente que precisa de um cara no cangote. Eu não. O cara no meu cangote é meu espelho. Quero sempre me vencer diariamente.

Treinamento: Japão e pré-Olimpíadas

A pouco mais de um mês das Olimpíadas, Guilheiro tem a consciência que será o homem a ser batido na categoria meio-médio em Londres. Os olhos dos rivais de todo o mundo estarão voltados para ele. E ele sabe disso. Tanto que procura treinar com lutadores que tenham características diferentes e busca sempre mudar sua forma de lutar, já que sabe que está sendo estudado pelos adversários.

De maio para junho, a seleção brasileira masculina ficou três semanas treinando no Japão, inclusive com a equipe olímpica japonesa que estará nos Jogos. Guilheiro avaliou os treinos e tentou tirar algumas lições. - Foi bem cansativo, mas valeu para fortalecer a competitividade, reencontrar o judô e dar força na pegada. O diferente do treinamento com os japoneses é o fundamento. Eles sabem andar no tatame, sabem se posicionar da melhor forma. Aí, na marra você não consegue derrubar. De olho nas Olimpíadas, mais do que afinar a técnica, a preocupação é descansar nessa reta final de preparação. Leandro Guilheiro quer fazer tudo certo para voltar de Londres com sua terceira medalha olímpica - e que de preferência seja de ouro. - Agora, tenho que ter mais atenção nos intervalos entre os treinos. Treino, descanso, treino, descanso... Os treinos finais são mais de exaustão, procurando explorar ao máximo a resistência física. Por isso vou precisar descansar bastante - finalizou.

Fonte: Globo Esporte

Tyson Gay

David Gusmão | Médico Ortopedista | Cirurgia de Quadril e Videoartroscopia | Atletas Famosos | Tyson Gay

Após quase um ano parado,

Tyson Gay compete em Nova York

Em março deste ano, Tyson Gay passou por uma intervenção cirúrgica por causa de uma lesão no quadril.
 

Ausente de competições durante quase um ano, o velocista Tyson Gay voltará às pistas. Apesar de ainda não estar totalmente recuperado de sua lesão no quadril, o norte-americano confirmou, em entrevista a Reuters, sua participação na etapa de Nova York da Liga Diamante. No entanto, o campeão dos 100m e 200m no Mundial de Osaka, em 2007, não disputará os 100m em seu país natal.

“Ainda sinto dores em meu quadril, mas tenho que começar a competir com elas”, afirmou. “Vou correr na prova B, pois ainda não estou pronto”, completou Gay, que tem como objetivo testar sua capacidade física antes da seletiva norte-americana, que ocorre no final deste mês, para os Jogos Olímpicos de Londres.

O agente do atleta, Mark Wetmore, destacou que o fato do velocista não competir ao lado do atual campeão mundial dos 100m rasos, Yohan Blake, na prova principal, diminui a pressão sobre Gay. “Pode não ser o ideal ter dois campeões do mundo em corridas diferentes, mas nosso foco está em Tyson neste ano olímpico. Blake, em condições normais, pode correr em 9s7. Não sabemos quanto Tyson pode correr, mas esperamos que seja em 9s9”, explicou.

O velocista norte-americano não participa de competições oficiais desde julho do ano passado, quando abandonou durante as semifinais dos 100 no Campeonato dos Estados Unidos. Em março deste ano, Tyson Gay passou por uma intervenção cirúrgica por causa de uma lesão no quadril.

Fonte:Gazeta Esportiva

Kim Clijsters

david.gusmao.ortopedia.lesao_.kim

Kim Clijsters anuncia aposentadoria para

depois do US Open

 

A belga Kim Clijsters, ex-número 1 do mundo, anunciou, nesta terça-feira, que irá se aposentar depois do US Open, que acontece entre 27 de agosto e 9 de setembro.

- Decidi parar depois do US Open porque é o torneio em que conquistei os maiores triunfos e é muito especial para mim – disse a belga, de 28 anos.

Dessa forma, Clijsters não irá jogar o Marters, torneio vencido pela belga três vezes e que reúne as oito melhores tenistas do circuito e acontece depois do Grand Slam americano.

Clijsters vive um ano complicado por causa das lesões, uma delas no tornozelo durante o Australian Open, em janeiro, quando foi semifinalista. Ela ficou fora da temporada do saibro devido a uma lesão no quadril.

Fonte: Ahe Brasil